Uso consciente evita dívidas e traz uma série de vantagens


Planejamento e organização são essenciais para o bom uso do cartão de crédito. — Foto: Shutterstock
Planejamento e organização são essenciais para o bom uso do cartão de crédito. — Foto: Shutterstock

Planejamento e organização são essenciais para o bom uso do cartão de crédito.

Praticidade, possibilidade de parcelar compras, ampla aceitação dentro e fora do Brasil. Cartões de crédito são uma ferramenta valiosa para quem procura essas e outras vantagens. Planejar e se informar sobre taxas e encargos são cuidados essenciais para usá-los de forma consciente e responsável.

O processo tem de começar antes da compra de um produto ou serviço. Pesquise sobre as diferentes formas de pagamento e veja se o cartão de crédito é, de fato, a modalidade mais vantajosa. Ah, muito importante: não se esqueça de verificar se aquela compra cabe mesmo em seu orçamento. O parcelamento fácil pode dar ideia de que uma aquisição cara é possível, mas nem sempre as parcelas do pagamento cabem no orçamento

Para ter certeza de que a fatura do cartão não vai causar um baque nas contas domésticas, é fundamental se organizar. Faça uma lista de compras para evitar o consumo por impulso. Nas compras a prazo, não se esqueça de incluir o valor das parcelas no orçamento dos meses seguintes. Convém, também, manter uma tabelinha com os gastos no cartão e as datas de cada operação, de modo que o valor da fatura não seja uma surpresa negativa no mês. Confira com cuidado a fatura e veja se reconhece todas as despesas descritas. Se houver alguma discrepância, entre em contato com a central de atendimento.

Fique atento aos benefícios

Se por um lado os encargos embutidos nas compras devem ficar no seu radar, por outro você pode usar o cartão de crédito a seu favor e aproveitar os benefícios. Há operadoras que oferecem a troca de pontos acumulados por bônus em mercadorias, descontos em serviços e passagens aéreas. São vantagens que, em geral, estão ligadas à modalidade do cartão (e à anuidade que você paga por ele). Vale sempre tentar negociar a anuidade, evitando pagar por serviços desnecessários.

Planejamento é essencial, também, para que o cartão não seja encarado como um complemento de renda. Outro fator importante para não se “embananar” é o pagamento da fatura: procure honrar o valor total, no dia do vencimento, evitando juros e demais encargos financeiros. Se, por alguma emergência, você se vir obrigado a pagar apenas o valor mínimo ou apelar ao rotativo, atente para o possível efeito “bola de neve” e tente “voltar para os trilhos” no mês seguinte.

O risco do acúmulo de dívidas, aliás, tem de estar em mente quando há mais de um cartão de crédito. Mantenha uma organização criteriosa para saber quanto você deve em cada bandeira. Se por acaso a dívida se acumular, é hora de negociar a fatura, mais uma tarefa que exige prudência e planejamento: estude o valor de parcela que você pode pagar para não comprometer seu orçamento e se enrolar novamente.

Fonte:G1

2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional
1-1 PG ELETRIBEL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.