Parlamentar é suspeito de exigir parte do salário de uma servidora comissionada da Prefeitura de Marechal Cândido Rondon supostamente indicada por ele.

O vereador Neco e o advogado que o defende, Giovani Miguel Lopes, acompanharam os depoimentos das testemunhas nesta quarta-feira (11) — Foto: Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon/Cristiano Viteck

O vereador Neco e o advogado que o defende, Giovani Miguel Lopes, acompanharam os depoimentos das testemunhas nesta quarta-feira (11) — Foto: Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon/Cristiano Viteck

Membros do Conselho de Ética da Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, ouviram nesta quarta-feira (11) as primeiras testemunhas convocadas pela comissão processante que investiga o vereador Dorivaldo Kist, o Neco (MDB).

Neco é suspeito de exigir parte do salário de uma funcionária comissionada da prefeitura. A denúncia indica que ela foi indicada pelo vereador em 2017 e para permanecer no cargo repassava R$ 1 mil todos os meses ao parlamentar.

Nesta quarta-feira foi ouvida a servidora e outras cinco pessoas, entre elas o ex-secretário municipal de Governo, Walmor Mergener, e o assessor do vereador, Paulo Kurtz.

Duas testemunhas inicialmente convocadas foram dispensadas e outra, que mora em Mato Grosso, não compareceu e deverá ser ouvida no dia 19, para quando estão marcados mais depoimentos.

O último a ser ouvido será o vereador Neco.

Concluídos os depoimentos, a próxima etapa da investigação será a apresentação das alegações finais das partes, conclusão do relatório e votação pelos membros da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar.

Se o relatório for aprovado, caberá ao plenário decidir pela cassação do mandato do vereador ou o arquivamento do processo.

Fonte: G1

2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional
1-1 PG ELETRIBEL
Vizi Pet
Rc Amb. Planejados