A chlorella é uma espécie de alga, pequena em tamanho, mas enorme em benefícios. Seu nome é uma referência ao elevado conteúdo de clorofila que possui, sendo, inclusive, a espécie com maior quantidade de clorofila conhecida até o momento. Isso a torna um produto apreciado especialmente pelo seu poder de destoxificação no organismo humano.

Mas, este não é o único benefício atribuído à chlorella, que é riquíssima em nutrientes e, por isso, muito valiosa à saúde. Ela pode ajudar no emagrecimento, na melhora do sono, no combate aos radicais livres, entre outros casos. Conheça melhor este superalimento!

O que é chlorella?

A chlorella é uma alga unicelular microscópica de água doce, que possui uma grande habilidade de realizar fotossíntese. Flávia de Oliveira José, farmacêutica da Doce Flora (CRF 33640) e coordenadora do curso técnico de farmácia na escola Esaup de Piracicaba, explica que todas as espécies de Chlorella apresentam boa digestibilidade em humanos; entre elas, a mais comum é a Chlorella pyrenoidosa.

“Trata-se de uma alga rica em clorofila, ‘pigmento verde’ que dá cor a ela e também origem ao seu nome. Além disso, é rica em proteínas, vitaminas, sais minerais, como fósforo, ferro, manganês, cobre, zinco, magnésio e cálcio aminoácidos essenciais (até mesmo lipídios)”, destaca Flávia.

De acordo com informações da própria bula da Chlorella Herbarium, ela foi descoberta pelos japoneses – que normalmente usam algas como alimento – e se popularizou por promover sensação de bem-estar após curto período de uso, segundo constatações dos orientais.

Como a chlorella acumula, durante seu crescimento, uma enorme quantidade de clorofila, proteínas, entre outros nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo, pode oferecer benefícios incríveis à saúde, quando bem indicada.

Benefícios da chlorella

  • Superalimento: Flávia comenta que a chlorella pode ser considerada um superalimento por conter alto valor nutricional, contribuindo assim para um funcionamento saudável do organismo.
  • Poder de destoxificação: sendo uma fonte riquíssima de clorofila, contribui para a eliminação de metais pesados, como alumínio, chumbo e mercúrio presentes no organismo humano.
  • Suplementação: a farmacêutica explica que o produto pode ser usado para suplementação de vitaminas e minerais; e, devido ao seu alto teor de proteínas (60 a 70%), pode ser consumida por veganos e vegetarianos.
  • Aliada no emagrecimento: ela auxilia em regimes de emagrecimento, pois é fonte de nutrientes essenciais e, devido ao seu alto teor proteico, proporciona saciedade e diminui a compulsão alimentar.
  • Bem-estar: a chlorella contém triptofano e assim contribui para uma produção mais elevada de serotonina no corpo, o hormônio da felicidade.
  • Cicatrização: Flávia acrescenta que a chlorella tem ação de estimular o crescimento de tecidos, sendo eficaz para casos de cicatrização.
  • Melhora do sistema imunológico: a especialista lembra que a chlorella fortalece o sistema imunológico, melhorando a proteção contra infecções variadas.
  • Efeito antioxidante: a farmacêutica destaca que o produto também tem efeito antioxidante, combatendo os radicais livres, os “vilões” do envelhecimento.
  • Proteção da visão: além da sua ação antioxidante, a chlorella contém luteína, nutriente conhecido como protetor da visão.

Com tantos benefícios fica fácil entender por que essa planta se tornou tão apreciada!

Especialista esclarece dúvidas sobre a chlorella

Apesar dos inúmeros benefícios que oferece à saúde, a chlorella não deve ser encarada como “milagrosa”. E é essencial saber que, mesmo tratando-se de um produto natural, tem contraindicações e deve ser utilizada somente quando houver indicação médica.

Qual a diferença entre chlorella e spirulina?

Flávia explica que, resumidamente, a chorella é uma alga, enquanto a spirulina é uma cianobactéria (ou seja, bactéria que realiza fotossíntese com liberação de O2). Apesar de terem algumas semelhanças, tratam-se de produtos diferentes, sendo cada um deles mais ou menos indicado para cada caso. A chlorella, por exemplo, por ser a planta mais rica em clorofila que existe, proporciona uma destoxificação incomparável. A spirulina, por sua vez, é mais rica em proteínas, podendo ser bem indicada para a suplementação ou complementação de uma dieta, por exemplo.

A chlorella pode ser usada para emagrecimento?

Sim. “Por conter grande quantidade de proteína em sua composição, ela auxilia nas dietas diminuindo o apetite e a compulsão alimentar. Contém ainda triptofano, aminoácido precursor de serotonina, deixando a pessoa mais alegre, menos irritada e com melhor qualidade de sono. Tudo isso, aliado a uma dieta de baixa caloria e à prática de exercício físico, proporciona emagrecimento”, reforça Flávia.

Qual a dose indicada?

Flávia explica que a dose adequada depende de vários fatores, como idade, objetivo, condições de saúde da pessoa etc. “Ainda não há informações científicas suficientes para determinar uma faixa apropriada de doses para a chlorella. Alguns estudos falam de 500 mg cerca de 30 minutos antes das principais refeições; outros podem chegar à indicação de até 30 g por dia. Porém, recomenda-se sempre a cautela de aumentar gradativamente essa dose, tendo ciência dos efeitos adversos, principalmente gastrointestinais, no consumo de doses elevadas”, alerta.

Quais são os cuidados necessários para o consumo?

“É essencial saber que nem sempre os produtos naturais são totalmente seguros e que dosagem é uma questão importante neste sentido. Quanto maior a dose, maiores serão os efeitos adversos e os danos quando pensamos em interação medicamentosa. Por isso, certifique-se de seguir as instruções contidas no rótulo e consulte seu médico, farmacêutico ou nutricionista de confiança antes de começar a usar chlorella ou qualquer outro produto”, orienta Flávia.

Há contraindicações no uso da chlorella?

Sim. É contraindicada para fenilcetonúricos (pois contém fenilalanina) e para crianças; pode causar reações em pessoas sensíveis ao iodo e alérgicas a fungos. A menos que exista indicação médica, não é recomendada para pessoas com o sistema imunológico fraco e com doenças autoimunes, tais como esclerose múltipla, lúpus e artrite reumatóide (AR). Não existe informação suficiente sobre a segurança de se tomar chlorella durante a gravidez e amamentação, por isso o uso não é recomendado.

Apesar de ser vendida livremente, é interessante adquirir a chlorella somente quando houver orientação de um profissional da sua confiança.

Se bem indicada, provavelmente a chlorella oferecerá ótimos benefícios para a saúde como um todo.

Fonte: Dicas de mulher

Saboretto
Viper
Zanella
2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional
1-1 PG ELETRIBEL
Paraná
Comunic
Vizi Pet