Foto: Sanepar

Uma pesquisa feita pela Universidade Positivo aponta que as águas do rio Passaúna estão contaminadas com antibióticos, hormônios e bactérias super-resistentes. O reservatório ajuda a abastecer as regiões oeste e sul de Curitiba.

De acordo com o levantamento, duas espécies de peixes que vivem no rio também têm concentração de antibiótico no organismo. A pesquisa não mediu o volume de medicamento encontrado na água, mas encontrou grande concentração de cafeína, que é usada em diversos remédios.

A coordenadora da pesquisa, Eliane Carvalho de Vasconcelos, é professora do Mestrado em Gestão Ambiental e Biotecnologia Industrial da UP, e explica que as substâncias são oriundas de dejetos de animais como ovelhas e cavalos que vivem na região do Parque Passaúna, lixo doméstico, pontos de esgoto irregular, entre outros fatores. “Ao longo do rio Passaúna nós temos aterros sanitários desativados, mineração, então tem vários fatores que podem influenciar”, disse.

Conforme a pesquisadora, a contaminação de antibióticos na água pode fazer com que as bactérias presentes no rio fiquem resistentes a esses medicamentos. “Você tem vários micro-organismos que estão na água, que não entraram em contato com o ser-humano ou outro mamífero que estão fora da água, e eles podem se tornar resistentes”, explicou.

Eliane explica que uma água contaminada com antibióticos pode causar sérios problemas para saúde. “Se tiver um contato primário, ou, por exemplo, vai nadar no rio e engole a água, você pode ter um prejuízo desde alergias até a adquirir uma bactéria super-resistente”, ressaltou.

Segundo a pesquisadora, a qualidade da água do Passaúna é considerada boa, mas é necessário monitoramento permanentemente. As pesquisas são feitas há 14 anos e desde o ano passado é registrada uma diminuição nos níveis de cafeína do rio. Próximo a saída do reservatório os índices de contaminação são bem baixos. “A água que é coletada para o consumo é uma água de boa qualidade, com todos os tratamentos que ela passa, tem a garantia de boa qualidade para consumir”, afirmou.

O Instituto Ambiental do Paraná é responsável por monitorar e fiscalizar a qualidade dos rios paranaenses. A diretora de Políticas Ambientais da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabiana Campos, reconhece o problema do rio Passaúna e explica que a pasta desenvolve projetos para conscientizar a população sobre a importância de preservar os rios. “Esses programas envolvem a educação nas escolas sobre o cuidado com os rios. Então a gente trabalha com as crianças na educação formal e com as pessoas na educação não formal”, destacou.

Procurada pela reportagem, a Sanepar informou que a água distribuída pela companhia atende a todos os critérios de qualidade e potabilidade determinados pela legislação brasileira e pelos órgãos ambientais. Em todo o mundo, ainda são incipientes as pesquisas sobre contaminação por antibióticos.

Fonte: Paraná Portal

Real Planejados
Saboretto
Viper
Zanella
2-2 PG - Infotech
3-2 PG - Espaço Regional
1-1 PG ELETRIBEL
Magirus
Paraná